Segundo mês – NATAL, o mês do tudo ou nada!

christmas

Se entras numa dieta ou num estilo de vida mais saudável, sem dúvida que o final do ano não ajuda em nada. No entanto é onde te testas a ti próprio/a e percebes se a tua vontade de continuar neste estilo de vida é maior que a tua gula…Se a passas sem grandes desvios, então, na minha opiniao estás pronto para o ano que se avizinha!

Quando entrei no mês do natal, estava a entrar no segundo mês de acompanhamento e durante os primeiros 15 dias foi fácil conseguir gerir a situação, no entanto quando entrei nas semanas antecendentes ao natal/ano novo as coisas mudaram. Os meus sogros vieram passar o natal connosco à Irlanda e ia ter claro a mesa recheada de doces tradicionais portugueses já não falando dos almoços e jantares, dos quais incluem (como na maioria das familias portuguesas) o belo do cabrito/borrego cheio de “molhenga” mesmo a jeito de molhar o pãozinho….

Decidi para comigo própria que teria de fazer o meu primeiro grande desvio, porque para mim não era possível ter a familia por perto e não acompanhar o minimo, já para não falar no meu marido que me pediu para fazer um esforço…. um esforço, como se fosse 🙂

Para não arruinar de vez tudo o que tinha conquistado em tão pouco tempo, pedi opinião ao Ricardo do que evitar já sabendo o que seria o menu de natal e pedi-lhe também ajuda porque o ginásio iria estar fechado na maioria dos dias destas 2 semanas natalicias. Ajuda no sentido se existia algum treino que pudesse fazer em casa nos dias em que o ginásio não abrisse.

O Ricardo, como sempre, foi de uma ajuda imensa e alertou-me para o que devia evitar e ainda me mandou um plano de treino em casa, em que incluia saltar a corda…descobri  ao fim de 31 anos que não sei saltar a corda, hahahah (censurem-me, vá…). AH! Mas isso não me impediu de fazer o treino e contornei bem essa “falha”. Não saltas com corda, vai sem corda mesmo…

Ora pois bem….os meus desvios (sim, plural e sem arrependimentos, hã!)! Após cada refeição comia um pouco de cada sobremesa :s, ora um bocadinho de bolo rei, mais um bocadinho de farófias, mais um de bolo de canela e por aí…..e mais, ainda me deu uma vontade de comer petit gateau com uma bola de gelado. Que miséria, além de estar a bombar o meu organismo de açucar novamente estava lhe a mandar a maior bomba calórica existente à face do planeta…mas pesei a “minha balança” e pensei: “entre comer e ficar satisfeita e não comer e ficar a pensar naquilo o resto da noite, da semana ou da VIDA prefiro arriscar e o mês de janeiro está aí a chegar e estou pronta para ele. E assim foi, saciei a minha vontade. No entanto tive um bom truque (conselho do Ricardo) para contornar muitas vezes a sobremesa. Nas principais refeições (almoço/jantar) incluia mais vegetais que o normal da minha dose diária. Isto fazia com que me sentisse mais cheia, saciada e sem tendência para repetir (carne e/ou doces). E a verdade é que ajudou, comia sempre um bocadinho de cada sobremesa, como já disse, mas em quantidades minimas. Tipo, juntando um bocadinho de todas, devia dar um pastel de nata…não estou a contar com as calorias, ok?…mas com o tamanho… :s

Passada esta fase natalicia, comecei o ano a pensar que tinha engordado toneladas, ateé porque  me sentia mais inchada na parte abdominal, no entanto quando me pesei no final do mês para enviar a contagem para o Ricardo, reparei que tinha emagrecido, calças que tinha comprado à duas semanas atrás estavam larguissimas, as minhas pernas e rabo tinham tipo encolhido…olhava-me ao espelho e não gostava do que via – nunca gostei de ter pernas magras, nunca! Falei com o Ricardo, expliquei a situação e a meio do mês de janeiro ele mudou-me o plano de dieta, mas ainda assim não estava a conseguir desenvolver a parte de baixo e então arriscámos um novo plano (em conjunto) para testar, ou seja, introdução de mais carbos e calorias no meu plano de nutrição e esperar para ver resultados sem nunca perder a definição abdominal (o que não é fácil quando a dosagem de carbos aumenta). A verdade é que em apenas uma semana, as minhas pernas e glúteos cresceram (Calma! quando digo cresceram nao é cresceraaaaaammmmm, se é que me entendem!) e o volume começou a notar-se a olhos vistos.

A definição muscular começa agora a tornar-se evidente e é espetacular quando me olho ao espelho e gosto do que vejo! Imaginem agora na praia?! De “vikini”!! ya, ya dizem vocês,  fala a pessoa que leva com chuva, frio e rabanadas de vento (antes fossem de natal) 365 dias por ano neste país e sonha com uma praia cada vez que tem de vestir os 3 casacos, os 5 cachecois e os 10 pares de meias mas a  cena é…eu não treino e não adotei um estilo mais saudável só para o verão, não é um projeto sasonal, mas sim vitalicio!

Continuando:

Os abdominais, esses, estão cá, se bem que um pouco mais escondidos. Consigo vê-los, tenho definição, mas não tão visível como antes, o que é normal. No entanto não estou preocupada (por agora, vá), pois em conjunto como Ricardo, vamos conseguir arranjar solução depois do meu principal objetivo, que são as pernas, ganharem  o volume ideal para manter.

Não podemos ter o melhor dos dois mundos, mas…podemos tentar…Uma coisa de cada vez e um dia de cada vez! Esse é o lema…até porque os abdominais estão cá e só tenho de os saber manter, o que tenho conseguido. O segredo? Sssshhhh, aqui só para nós: o segredo está no que comes…

Vou mantendo-vos atualizados do meu progresso.

E é isto! Força e dedicação!

Sigam-me no INSTAGRAM: joaninha.ie_fit

Meu coaching online: Xtrafit

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s