Tailândia – Parte 2 – Como mantive Mens sana in corpore sano (mente sã em corpo são)

Como prometido, aqui fica a 2ª e última parte sobre a viagem à Tailândia – já ninguém me atura…

Pois que fui uma grande surpresa para mim própria nestas férias! Se restavam algumas dúvidas de que não era capaz de manter uma alimentação equilibrada nestes 10 dias, todas elas se dissiparam.

A verdade é esta e a maioria de vocês há-de concordar comigo, férias, sol, calor e praia puxam para muita boa coisa que só faz é mal ou engorda mas que nos satisfaz naquele momento. Eu era um pouco assim. Tudo o que me apetecia, comia e acabava sempre por abusar, como gelados, caiprinhas, mojitos, farturas, bolas de berlin na praia, etc. Acredito que isto tudo está na nossa cabeça e na forma como a conseguimos controlar. A gula é grande, mas a força de vontade em manter –me focada e querer continuar neste estilo de vida é maior e tem me surpreendido!

Começo por vos dizer que pedi ajuda ao Ricardo para saber como me orientar nestes dias, uma vez que não sabia como era o ginásio do hotel, se iria ter alguma hipótese de lá ir sequer e também não sabia como seria a alimentação. E eles deu-me umas dicas óptimas e passou-me uns planos de alimentação adequados, pois iria estar fora da minha rotina, iria estar mais parada e consequentemente acumular mais gordura. Ricardo, Obrigada!

Como foram estes 10 dias?

Comida 

A facilidade de conseguires comer saudável num país como a Tailândia é muito grande, isto porque a base da comida deles é vegetais e arroz (que por sinal, é basmati – o que é o ideal na dieta), feito em óleo de coco (o mais saudável). O truque é saberes escolher o restaurante e o prato que mais se adequa à tua dieta.

Eu por exemplo, tentava sempre escolher os restaurantes que tivessem “Free salad”, ou seja, independentemente do prato que escolhesse, tinha sempre salada à descrição. Por exemplo, quando o prato que queria vinha acompanhado de batatas fritas, eu pedia que me substituissem as batatas por vegetais, mas a verdade é que a quantidade de vegetais que eles colocavam era muito pequena e então eu acabava por compensar com a salada que era à descrição e assim mantinha as minhas doses diárias todas certinhas, conforme o meu plano. Nos dias que tinha de ingerir carbohidratos ao almoço, pedia sempre um prato de arroz à parte. E fui fazendo sempre assim. No entanto, acabei por reduzir bastante nos carbohidratos porque quando comia sentia-me mais inchada do que o normal e isso ajudou nos restantes dias.

Muitas vezes, por muito que pedisse frango ou salmão ou outro tipo vinha sempre acompanhado de molhos, ou de soja, ou de ostras, ou picante, etc…Por sinal deliciosos mas super calóricos, o que eu evitava sempre. Comia a carne/peixe e deixava o molho – tentava “sacudir” a carne (olha a louca!)Aqui não tens hipótese, porque a beleza e a degustação do prato está toda naquele molho e sem ele a comida não tem graça nenhuma e perde o  sabor.

Uma cena muito fixe que eles têm e que para mim foi ouro sobre azul – a maioria dos restaurantes têm no menu a quantidade de gramas de peixe ou carne que cada prato traz. Se não tiver essa informação, podemos perguntar e pedir para colocar mais ou menos. O senão é que se quiseres mais gramas do que as estipuladas no menu, pagas mais…uma bagatela…por isso compensa…

Abaixo alguns dos pratos que comi:

Treinos 

A nivel de treinos, consegui ir todos os dias ao ginásio, à exceção dos dias de viagem (ida e volta). É certo que não fazia um treino completo, primeiro porque o ginásio não estava equipado com todas as máquinas que uso, mas principalmente porque estava de férias e não queria passar mais de uma hora no ginásio. Então ía lá todos os dias, ao final do dia, depois da praia e/ou piscina (17h30) e treinava durante 30 minutos. Na maioria das vezes fazia cardio para ajudar a manter o peso e não acumular gordura localizada. Fazia 20 minutos de HIIT e de seguida treinava ou costas, ou peito, ou ombros ou braços (ia variando) e intervalava os dias com treino de pernas.

A única suplementação que levei foi a minha proteína whey (na mala de porão). Tudo o resto (creatina e BCAA) tive um pouco de receio de levar pois como é em pó (branco) tive receio que tivesse algum problema no controlo aduaneiro. :s Por não ter levado isso, dei bastante ênfase ao treino de pernas enquanto estive de férias, para que elas não perdessem a massa muscular durante os treinos de HIIT. E acho que correu bem.

IMG_5027

Mas nem tudo foi assim tão certinho…vamos lá ver…a pessoa estava de férias e não é de ferro e é claro que a vontade de comer algo fora da dieta existiu e aconteceu.

Fiz vários desvios, sim! Desculpa Ricardo!

  • O maior deles foi feito todos os dias…pois…, mas tinha completa noção do acto pecador que estava a fazer. O pequeno almoço!

Para mim, e acho que já vos disse isto nalgum post anterior, o pequeno almoço é a refeição do dia que mais satisfação me dá comer, mesmo em casa dentro da minha dieta. ADORO! Mas os pequenos almoços dos hoteis para mim são a perdição e este foi de facto. Era a única refeição que fazia em que não seguia (de todo) as doses que tinha no meu plano. Comia mais do que devia. Comia o que estava no meu plano, mas depois dava uma escapadela a uma panqueca regada (só um pouco) com mel, uma waffle salpicada de canela e um cinnamon roll (aqueles bolos de canela que há no IKEA, sabem? Tipo um caracol de canela recheado com geleia – uma perdição para mim) e por vezes ainda comia uma fatia de bolo de banana (Desculpa Ricardo). Acompanhava isto tudo com uma caneca de café (acho que era a única coisa que de facto eu não me desviava). Tinha plena consciência do que estava a fazer e pensava, Caramba! Esta é a minha refeição preferida, aquela que me dá gosto e principalmente  estou de férias e quando acabarem eu sei que vou voltar à rotina, por isso deixem-me comer.GO AWAY!!!

  • Comi gelados (não sempre quando me apetecia, atenção! – aqui está o controlo da mente). Descobri um de água de coco maravilhoso!

E os de banana split?! Ai Santa casa!! Benze-te Andreia Joana, tu benze-te!

Eles faziam também uns gelados maravilhosos, só precisavas de escolher o sabor e eram feitos à tua frente naquele momento. Eu como não sou por menos, pedia ou de bolacha OREO ou de chocolate TWIX (Desculpa Ricardo! :)).

Abaixo foto de como eles ficam no fim e um video que gravei a fazerem o gelado (este era de morango, não era para mim, claro!):

 

 

  • Panquecas! Ai Santa casa…! Panquecas feitas com óleo de coco e depois pedias para rechear com todo o pecado que quisesses…só comi uma vez uma inteira e foi com banana e nutela! A vontade era: Bezunte isso com banana, nutela, manteiga de amendoim e leite condensado por cima! Mas a pessoa controlou-se! Depois ia “penicando” uma e outra vez das panquecas do marido ou da filha…. e assim só me sentia metade gorda, o peso na consciencia era menor…
  • Álcool….não tive vontade! Oi?? Pois é, nem parece meu, a pessoa que bebia minis e Pints (depois de ter emigrado para o país delas) com tanta satisfação! A verdade é que não sentia vontade e acabei por beber apenas 2 mojitos e já nos últimos 2 dias. Alguns restaurantes serviam Sangria e senti-me tentada, mas controlei a fera e acabava por beber (e ainda bem) a minha água de coco, onde encontrei a melhor fonte de hidratação. Super economico (€1), fresco, bebes diretamente do coco e super saudável!
  • Churros. Não tão fáceis de encontrar. O meu marido tinha comentado no dia anterior que era pena não haver uns churritos para comer e no dia seguinte encontrámo-los num centro comercial em Patong…Comi…………………………………com nutela……………………………………se podia ter pedido simples? Podia! Ponto final, parágrafo! (Sem comentários :)).

Estes foram os meus desvios, apenas em doces. Não comi nada de fast food, nada de pizzas ou hamburgueres até porque a comida Thai é tão variada, tão rica, tão saudável e tão boa que não te apetece comer mais nada.

Relativamente à viagem de avião, tanto ida e regresso, preparei as minhas próprias refeções antes. Na ida foi mais fácil porque pude preparar tudo em casa, no regresso dei a volta à questão e abasteci-me entre cada escala de avião com o que era necessário no meu plano para durante toda a viagem! Fácil, fácil…se foi possivel numa viagem de um dia inteiro, imaginem em viagens mais curtinhas?! Tudo uma questão de foco e determinação.

Sigam-me no INSTAGRAM: joaninha.ie_fit

Meu Coach online: Xtrafit

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s