AÇUCAR…o teu pior inimigo!

foto

Post atrasadissimo bem sei, mas vem na altura certa. De regresso a Portugal para umas merecidas férias, saí um pouco do foco para poder matar saudades da nossa comidinha. Tentei durante esta semana manter a minha dieta o que em grande parte consegui, no entanto e como já mencionei em posts anteriores a minha perdição no meu país é de facto a nossa pastelaria, bolos! Dentro do incontrolável, consegui controlar muitas vezes a minha gula, mas houve momentos que me deixei levar, estou de férias, mereço mimar-me após tantos meses completamente fiel à minha dieta e treinos. No entanto nem tudo está perdido minha gente….existe peso na consciência e eu tenho-a aos molhos, para dar e vender e como tal, desde o primeiro dia que cheguei e até hoje (último dia), fazia 30 minutos de cardio todos os dias pelas 7h30, juntamente com pequenos exercícios metabólicos. Não pensem que uma corrida paga o bolo comido no dia anterior, porque não, NÃO SE ENGANEM, mas pelo menos ajudou-me a manter 90% do trabalho feito ao longo dos últimos meses sem acumular muita massa gorda.

Enfim, vamos ao que interessa! Semana de “estragos”, altura ideal para vos alertar a relembrar-me a mim própria os perigos do açúcar!

Trago-vos um post interessantíssimo e muito importante: vamos falar de açúcar seus/suas gulosos/as!

O açúcar é tão importante na confecção de bolos para os tornar mais deliciosos que não vemos o mal que eles nos faz.

Eu própria não tinha noção à uns tempos atrás…os bolos sabem sempre muito melhor quando são docinhos, mas sem querer provocam-nos uma “morte lenta” que nem damos conta, porque parecendo-vos que não, o açúcar é um vício e deve ser consumido com bastante moderação.

O uso excessivo pode causar desde doenças coronárias a diabetes tipo II, problemas neurológicos, etc. Já tinham pensado nisto? Até assusta…

O açucar é produzido através da cana, que é moída para extrair seu caldo. Esse caldo é aquecido a mais de 10°C e é filtrado e assim começa o processo de purificação do açúcar. Assim que o caldo é evaporado, transforma-se em um xarope que é fervido de seguida  até o aparecimento dos cristais de açúcar. Após este processo – e vejam como já vai longo e as transformações que levou…parece quase uma lipoaspiração às mais obscuras profundezas do corpo humano, –  seguem-se mais algumas etapas de purificação e refinamentos químicos que irão fabricar os diferentes tipos de açúcares disponíveis a venda no mercado. Ora vamos lá ver então a diferença entre eles:

Açúcar refinado:

É branquinho, branquinho…motivo? Enxofre! Ah pois é…o pecado, neste caso o diabo, mora bem aqui ao lado. No processo de refinamento, aditivos químicos como o enxofre deixam o produto bem branco e apetitoso. Este processo, no entanto, retira praticamente todas as vitaminas e minerais do açúcar, que se torna um produto de calorias vazias, ou seja, sem nutrientes.

Açúcar cristal:

É aquele açúcar que apresenta cristais maiores, um pouco difíceis de serem dissolvidos na água. É muito usado em receitas de doces. Depois de fervido, os cristais passam por um processo de refinamento mais “soft” que aquele sofrido pelo refinado. Ainda assim, 90% dos nutrientes são perdidos.

Light:

Combinação do açúcar refinado com adoçantes como aspartame e ciclamato, que aumentam o poder de adoçar. Consumir açúcar light significa ingerir menos calorias, pois 2gr. de açúcar light equivalem a 6gr. de açúcar comum, no entanto é a pior alternativa de todas, devido à presença destes 3 venenos: açúcar refinado, aspartame e ciclamato.

Frutose:

Açúcar extraído da fruta. A frutose adoça cerca de 30 vezes mais do que o açúcar comum. Por vezes pensamos que deixar de comer para fazer dieta e alimentarmos-nos apenas à base de fruta e sumos é saudável…desenganem-se…Eu própria como muito menos fruta agora, tenho apenas uma pequena percentagem na minha dieta.

Açúcar demerara:

A sua aparência e sabor são similares ao açúcar cristal, no entanto exibe um tom mais dourado, ou castanho. Porquê? Satisfiz a minha curiosidade nas minhas pesquisas…o açúcar passa por um refinamento leve e não recebe nenhum aditivo químico. Praticamente todos os nutrientes são preservados, mantendo alto teor de cálcio, fósforo, potássio e magnésio, além das vitaminas B e C.

Açúcar mascavo ou mascavado (como quiserem chamar):

Este açúcar forma-se após o arrefecimento do xarope proveniente do caldo da cana e não passa por nenhum processo de refinamento. Por isso, ele possui o maior valor nutricional entre os tipos de açúcar. Seria o equivalente ao trigo ou ao arroz integral. Ele é húmido e escuro e possui um gosto mais marcante. Não é o mais usado talvez por não ser tão conhecido e pela cor que tem, mas posso-vos dizer que é bom e sempre é mais saudável que o normal.

Orgânico:

Relativamente a este: difere dos demais desde a plantação. A planta “mantêm o seu ADN” desde início, ou seja, não recebe quaisquer produtos ou fertilizantes artificiais. No entanto, comparando com os industrializados, podem conter até 5 % de componentes não orgânicos, por isso vejam sempre os rótulos!

A minha opinião é um pouco ambígua neste assunto, do estilo…não acreditem em tudo o que lerem à primeira vista. É o mesmo que os produtos sem gluten. Ah e tal  não tem glutem é fixe para a dieta e não faz mal! Lá porque não tem gluten não quer dizer que nâo estejam carregados de “porcarias”. Tenham Atenção!

Quantidade de nutrientes em 100gr. de açúcar:quadro

Fonte: PHILLIPI, S.T. Tabela de Composição de Alimentos.

 

Eu já não uso açúcar, apenas quando tenho o meu dia de refeição livre, ou seja uma refeição fora da dieta (cheat meal) e que acontece tipo de 2 em 2 semanas. Aí meus amigos, o açúcar que estiver incluído no bolo/doce que escolhi não tem qualquer hipótese. 🙂 No entanto eu tenho plena noção e sei que não faço mais daquilo um vício. É apenas muito de vez em quando (tirando as férias, vá) e acreditem que sabe ainda melhor!

Um óptimo substituto do açúcar é o Stevia natural em pó. É o que tenho em casa, mas raramente o uso. Uso mais quando faço panquecas, waffles e mini muffins saudáveis. Adaptei-me muito bem ao facto de não adoçar as coisas…hábitos…

Outra coisa muito importante…não se deixem enganar pelos lights. Se vês light, duvida sempre. Muito recentemente, um relatório publicado no jornal Trends in Endocrinology & Metabolism destacou o facto de que pessoas que consomem bebidas diet ou light sofrem os mesmos problemas de saúde daqueles que optam por bebidas comum (à excepção da água, né??), incluindo o ganho excessivo de peso, diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares e AVC.

Resumindo:

Se não conseguem retirar o açúcar assim de repente da vossa vida (nem tanto ao mar nem tanto à terra – 🙂), sugiro que o façam gradualmente. Comecem pelo açúcar mais escuro, por manter as suas propriedades nutricionais e depois tentem o Stevia.

 

Espero que tenham gostado deste post e que vos seja útil. Eu muito sinceramente adorei tudo o que aprendi com esta pesquisa e nunca é demais sabermos um pouco mais daquilo que podemos ou não consumir e porquê…

Um  beijo a todos e mantenham-se fit!

Sigam-me no INSTAGRAM: joaninha.ie_fit

Meu Coach online: Xtrafit

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s